quinta-feira, 24 de setembro de 2015

PARAÍSO

Durmo um sono profundo
E tropeço em raios de luar
Acordo
Cheira-me a marés por acontecer
Debaixo da almofada
Voam bandos de golfinhos
Finalmente abro os olhos
Na minha janela dança o sol
Em raios oblíquos
Novo dia por usar
Um café, amigos
E tanto para fazer ainda
Meu sul, meu país do sul
Um paraíso que não inventei
Porque existe para lá da minha janela.

Lobito, Setembro de 2015

Sem comentários:

Enviar um comentário